quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Promoção - RPGBrasil.Org - Dezembro/2010 - Janeiro/2011 (Divulgação)

Olá, amigos!

Nossos amigos do RPGBrasil.org estão com uma super promoção. Não deixem de participa, e como diria o sorveteiro na praia: "É pro moção e pra mocinha!" :)




2011 será um ano repleto de novidades e é claro, iremos festejar o ano novo e a nova fase da RPGBrasil.Org.



E com a ajuda dos parceiros que acreditam na idéia da RPGBrasil.Org nós trazemos até você uma promoção com mais de 30 itens, onde 6 ganhadores poderão levar um kit contendo livros, miniaturas, quadrinhos, etc.


Para concorrer é muito fácil, acesse o link: http://migre.me/2Vz9C e conheça as regras.


Não perca a chance de participar de uma das maiores promoções já feitas por sites de RPG.


A RPGBRASIL.ORG ACREDITA EM VOCÊ, e por isso nós fazemos o nosso trabalho com total dedicação.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Livros Nacionais que Li em 2010.

Olá, amigos.

Hoje faço uma postagem não como escritor, mas sim como leitor. Este ano me marcou, entre outras coisas, pelos livros que tive oportunidade de ler. O que mais me impressionou foi a qualidade dos livros nacionais. Sempre correu a lenda que escritores nacionais eram inferiores aos estrangeiros. Nada mais equivocado. Acho que este senso comum mexeu com o orgulho dos nossos escritores conterrâneos que resolveram investir suas melhores idéias ao conceberem suas obras. Li os mais diversos temas da literatura, como romances, ficção científica, fantasia, suspense, policiais, etc. Todas as obras marcadas pela excepcional qualidade. Muitas delas eram obras de estréia e fico imaginando como estes artistas da palavra irão desenvolver suas carreiras, pois se conseguirem a cada obra superar a anterior, certamente o Brasil será uma fonte inesgotável de mestres da literatura. Eis, então, os livros que li este ano dos nossos queridos brazucas.


VIANCO, André.
Os Sete.
Osasco/SP: Novo Século, 2001.


GARCIA-ROZA, Luiz Eduardo.
Achados e Perdidos.
São Paulo: Planeta/Cia das Letras, 2004.


FONSECA, Rubem.
Agosto.
São Paulo: Folha de São Paulo, 2009.


SPOHR, Eduardo.
A Batalha do Apocalipse.
Curitiba: Nerd Books, 2009.


DRUMMOND DE ANDRADE, Carlos.
Claro Enigma.
Rio de Janeiro: Record, 1991.


BRUM, Leonardo.
Um Mundo Perfeito.
Osasco/SP: Novo Século, 2008.


SCHULAI, Leandro.
O Vale dos Anjos.
Osasco/SP: Novo Século, 2010.

JAHNEL, Alexandra.
O Mestre dos Dragões Vermelhos.
Osasco/SP: Novo Século, 2010.


GUIMARÃES, Demétrio.
Rudamon
Rio de Janeiro: Livre Expressão, 2010.


PENA, Felipe.
O Marido Perfeito Mora ao Lado.
Rio de Janeiro: Record, 2010.


LAW, Vincent.
Mundo de Avalon.
São Paulo: Baraúna, 2010.


LUTZ, Estevan.
O Voo de Icarus.
Osasco/SP: Novo Século, 2010.


MONTENEGRO, Janda.
Antes do 174.
Rio de Janeiro: Ibis Libris, 2010.


CARDINALI, André.
Estátuas de Sal.
Osasco/SP: Novo Século, 2010.


Leiam mais autores nacionais. Existem temáticas para todos os gostos, e vocês não vão se arrepender.


Abração!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Resenhas Especiais e Revista Fantásica nº 4

Olá, amigos.

Hoje venho apresentar duas resenhas que me deixaram empolgado semana passada.

A primeira foi feita pelo amigo escritor Allysson de Matos, autor do livro Neerack, O Segredo de Kalina. Link: http://neerack1.blogspot.com/2010/12/essencia-do-dragao-andres-carreiro.html

Uma frase da resenha: “Nessa grande história contada por Andrés Carreiro, fica evidente que a batalha entre o bem e o mal pode simplesmente ser vista com outros olhos, onde tanto os seus objetivos como resultados podem ser encarados como novas perspectivas

Obrigado, Allysson, pelo apoio e seriedade em conceber esta resenha para A Essência do Dragão.

A segunda foi feita pela amiga e parceira Anny Lucard do programa Contos Sobrenaturais da Radio Digital Rio. Link: http://contossobrenaturaisdigitalrio.blogspot.com/2010/12/os-livros-que-gostei-04.html

Uma frase da resenha: “A Essência do Dragão é um livro duplamente recomendado pela Digital Rio. Eu, em particular, tenho que dizer que o livro daria um filmaço e dada a tecnologia vista no filme Nosso Lar, poderia ser algo feito aqui no Brasil em parceria com o Canadá sem problema

Obrigado, Anny. Fiquei super feliz em saber que você gostou do livro.

A outra novidade é que já saiu a quarta edição da impecável Revista Fantástica. Andei escrevendo alguma coisinha por lá, rsrsrs!


                                

Veja a o que temos por lá:

FALANDO NO ASSUNTO: O que os escritores têm a dizer sobre o raso e o profundo na literatura?

- RESENHANDO: Resenhas de Mundo de Avalon: Caminho da Gnose deVincent Law e Rede de Sonhos de Felipe Pan.

- TROCA-TROCA: Alexandra Jahneli, autora de O Mestre dos Dragões Vermelhos, e Andrés Carreiro, autor de A Essência do Dragão: Ressurreição, resenham cada um a obra do outro.

- MATÉRIA DE CAPA: Analisamos a trajetória de Eduardo Spohr, autor de A Batalha do Apocalipse.

- REPÓRTER MIRIM: Qual é a dos anjos? E dos mundos fantásticos? Nossos repórteres mirins respondem!

- E SE FOSSE FILME?: Como seria se o livro A Batalha do Apocalipse, de Eduardo Spohr se tornasse uma mega-produção cinematográfica?

- EM FOCO: Matérias sobre livros pequenos, música na literatura, filmes e, é claro, vampiros.

- NOVIDADES: Conheça Antes Tarde do Que Sempre (Bertoldo Gontijo), A Corrente (Estevão Ribeiro), Extraneus: Vol 1 - Medieval Sci-fi (org: MD Amado), Histórias Fantásticas: Vol. 1 (Georgette Silen).

- CLÃ DOS IMORTAIS: Confira o que rolou no evento Darkness Rising, no Rio de Janeiro.

- CONEXÃO SKOOB: O que há de mais interessante na melhor rede social para aficcionados por livros.

- CONEXÃO PSYCHOBOOKS: A Equipe Psychobooks nos ensina o que é e para quê serve a ARC.

- CONEXÃO ALTERNADA: Conheça o site Sobre Livros.

- CONEXÃO RPG BRASIL: Aprenda sobre cenários de RPG.

- ÚLTIMA PÁGINA: O escritor Dhyan Shanasa, autor de O Livro de Tunes, discorre sobre o papel dos clássicos na literatura.


É isso aí. Na próxima postagem vou listar os livros nacionais que li este ano. Devo dizer que muita coisa superou o que li de autores internacionais.


Até a próxima, pessoal.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Resenha O Voo de Icarus

Olá, amigos.

Semana passada, no Site Sobre Livros, foi publicada na seção Resenha do Escritor, uma resenha de um livro que me surpreendeu pela qualidade e excelência. O livro se chama O Voo de Icarus, do Estevan Lutz. Disponibilizarei aqui a resenha que foi publicada no Sobre Livros para aqueles que ainda não leram. Recomendo o livro...

LUTZ, Estevan.
O Voo de Icarus: Até onde nossa mente pode nos levar.
Osasco/SP: Novo Século, 2010.

A história é narrada por seu protagonista, Icarus, um jovem que trabalha numa companhia de tecnologia de informação conhecida como Holocorp. Nosso herói é viciado em realidade virtual e em uma droga moderna chamada nirvana. Num ambiente futurista, vivendo numa cidade ilha (artificial), no Golfo Pérsico, chamada Agartha, Icarus convive com os problemas de seu tempo. Em busca de ajuda para seus vícios, procura tratamento médico e acaba usando um remédio experimental chamado Sinaptek, droga esta à base de nanotecnologia. A história nos conduzirá a “nova vida” que o recente tratamento de Icarus desencadeará.

Não tenho palavras suficientes para expressar a grande surpresa que foi ler O Voo de Icarus. Estou maravilhado com a história escrita por Estevan Lutz. A narrativa nos conduz a uma visão futurista do mundo extremamente tangível. Como se fosse um Julio Verne moderno, Lutz nos apresenta o futuro, que só dependerá do próprio tempo para confirmá-lo verdadeiro. A impressão que temos é que o autor “viajou no tempo” e presenciou este momento cronológico, com todas as suas características, e transmitiu o relato ao livro com riqueza de detalhes. Contudo, os detalhes são diluídos durante o desenrolar da história, não a transformando em momento algum em algo desagradável.

Outro ponto a se destacar é a habilidade do autor em escrever. O livro tem o equilíbrio perfeito de um português elegante com o dinamismo que a história exige. A estrutura da narrativa alia simplicidade e elegância. Todavia, Lutz não foge das palavras. Em momentos chaves, expressões técnicas aparecem para aumentar a sensação de verossimilhança daquele universo futurista. Algo raro hoje em dia.

O homem e seus desafios. Acredito que neste livro, um dos temas seja este. Conforme a humanidade continua sua jornada, novos desafios aparecem diante dela. Uma parte assimila a nova realidade, como se esta sempre tivesse existido, e outros acabam sofrendo com isso. Icarus, apesar de ser um jovem relativamente bem sucedido, encaixa-se exatamente nesta problemática universal. Sua vida e seus objetivos o levaram a adquirir vícios (drogas) e problemas não existentes no passado (abstinência da realidade virtual). Isto cada vez mais tem sido observado nos dias de hoje. Os chamamos de problemas modernos. Obesidade, bulimia, drogas sintéticas, fobias, etc. nos cercam e muitas destas “epidemias” não existiam há 100 anos. É muito interessante criar uma visão de futuro e imaginar aquilo que tem se tornado universal em relação à humanidade, ou seja, sua dificuldade em se adaptar ao que é auto-imposto, e suas fugas que por sua vez geram problemas indesejáveis que podem levar esta mesma sociedade ao colapso. Como na mitologia grega, o filho de Dédalo, também chamado Ícaro, não mantém o equilíbrio avisado por seu pai em relação ao uso das asas de cera e penas, utilizadas na fuga de Creta. Com este desequilíbrio, a história mitológica acaba com a queda ao mar de Ícaro, dando fim ao objetivo primário (fugir) e de sua própria vida.

Todo um universo da ficção científica está homenageado em O Voo de Icarus. Entretanto, a visão de futuro apresentada na história foge do que é comum muitas vezes nas narrativas de ficção científica. Em vez de termos um futuro decadente, como na literatura Cyber Punk ou no cinema (Blade Runner), temos uma visão mais positiva, com a humanidade seguindo sua trajetória técnico-científica, em desenvolvimento constante. Este futuro, vale salientar, cheio de tecnologia baseada na informação e realidades virtuais nos remete a uma homenagem feita a neuromancer/matrix. Os espíritos de Isaac Asimov, Philip K. Dick, Aldous Huxley, Anthony Burgess, George Orwell, entre outros, também nos assombram, levemente, durante a narrativa. Mas não pense o leitor que é apenas mais uma história de ficção científica recortada destes autores. Estevan Lutz dá vários passos à frente, construindo uma ótima, nova e surpreendente história.

O Voo de Icarus, e falo isto sem pestanejar, já nasceu um clássico. E o melhor disto é que foi concebido por um brasileiro contemporâneo nosso. Não há dúvida em relação à qualidade da obra e Estevan Lutz demonstra um potencial gigantesco como escritor. Tornei-me fã incondicional de seu trabalho e aguardo ansioso por suas futuras obras. Dificilmente dou nota máxima a um livro, principalmente quando não tenho referências de outros trabalhos, mas não tive como dar menos que o máximo a este brilhante texto. É perfeito e se melhorar, como diz o jargão, estraga. Recomendo a qualquer um o embarque neste “voo”. Boa viagem!